toracica.med.br
História da Broncoscopia
O invento da broncoscopia data de 1897 por Gustav Killian. Na época com a ajuda de espelhos e lentes ele, juntamente com um engenheiro e um mecânico, inventou um ascessório rígido para retirar um osso de galinha de dentro do brônquio de uma criança de 7 anos. Assim nasceu a broncoscopia, a endoscopia dos pulmões, da traquéia e dos brônquios. 
Broncoscopia flexível
No interior do broncoscópio flexível também existe um fino canal por onde pode-se colher secreções, biópsias e escovados entre outros procedimentos. Com o auxílio do broncoscópio flexível se retira também corpos estranhos (Pedaços de comida, dentes, ossos e brinquedos nas crianças) que porventura tenham caído dentro da via aérea (traquéia e brônquios). 
A broncoscopia é utilizada no estadiamento ("classificação") completa do câncer de pulmão. É exame decisivo na avaliação da possibilidade de tratamento cirúrgico efinitivo do câncer de pulmão.
Broncoscopia atual
Hoje tudo evoluiu. Os aparelhos são flexíveis, estão portáteis e cada vez mais finos. Através dele pode-se diagnosticar o câncer de pulmão, retirar pequenos fragmentos deste para o laboratório (biópsia), colher secreções dos pulmões para diagnosticar as mais diversas infecções respiratórias (como a tuberculose entre outras) e até realizar biópsia do tecido pulmonar atravéz da biópsia trans-brônquica. O broncoscópio flexível nada mais é que um conjunto de fibras óticas que leva um raio de luz frio e trás as imagens de tudo que esta se passando dentro da traquéia e dos brônquios.
O que preciso saber?

Algumas orientações para o exame são gerais como: Obrigatoriedade de jejum de pelo menos 6 horas, levar TODOS os exames, a solicitação e a carteira do convênio e não esquecer de ir acompanhado de um maior de idade. Importante também é que você não poderá sair dirigindo ou de moto.


Mais Orientações para o exame